Extraordinário (2017)

Todo mundo merece ser aplaudido de pé pelo menos uma vez na vida.

Uma das grandes apostas para o fim do ano é Extraordinário (Paris Filmes), baseado no livro de mesmo nome da nova iorquina R. J. Palacio. Conseguimos assistir ao filme hoje e a única palavra que temos para descrevê-lo que não seja o título do filme é incrível. Ao contrário de alguns filmes recentes, em nenhum momento ouvi alguém falando mal de alguma cena ou momento na saída da sala. Pelo contrário: pessoas diziam que estavam emocionadas e choraram em diversos momentos da exibição.

Apesar deste livro ser um dos meus favoritos, eu consegui me surpreender mesmo em momentos que eu já sabia o que aconteceria ali. O filme passa a mesma mensagem do livro só que de uma forma mais rápida e dinâmica. Quando percebemos, já estão comemorando o ano novo. Apesar de ser um filme que trata sobre bullying, esta temática não foi abordada da forma que muita gente imaginaria que aconteceria – de fato foi um das surpresas para mim.

A nossa querida Sônia Braga (Aquarius, 2016) aparece em cena e pude sentir orgulho de ter um pouco de tempero brasileiro neste filme. A atuação, aliás, é o ponto forte de Extraordinário. Owen Wilson (Zoolander, 2001) mostrou que gosta mesmo de atuar com cachorros e fazer par romântico com atrizes que começam com a letra J (o ator fez o papel principal no drama Marley & Eu com Jennifer Aniston). Ele quase repetiu o mesmo papel do filme do cachorro: engraçadão mas que chora quando é necessário.

Julia Roberts (Um Lugar Chamado Notting Hill, 1999) não lembra em nada a mesma atriz de Uma Linda Mulher. Aqui ela é Isabel, a personificação de uma mãe corajosa, destemida e que enfrenta tudo pelo filho. Julia atuava com os olhos.

Não podemos esquecer também de Izabela Vidovic (O Anjo Mora ao Lado, 2012) no papel de Via, a irmã de Auggie. A atriz de 16 anos mostra que, ao contrário de algumas atrizes da sua idade, tem talento. Não consigo imaginar uma Via melhor do que a de Izabela.

O elenco infantil é maravilhoso. Desde os figurantes até os papeis principais: Jack Will (Noah Jupe), Julian (Bryce Gheisar) e Summer (Millie Davies) estavam perfeitos em cada papel. Porém senti que Julian poderia ser melhor dirigido por Stephen Chbosky (As Vantagens de Ser Invisível, 2012) e aproveitado como papel de “vilão”. Aliás, falando em Julian, a adaptação poderia contar com o conto extra “O capítulo de Julian“, lançado por Palacio em 2014.

A divisão em partes do livro também foi respeitada: há momentos para Jack Will, Summer, Via e Miranda (Danielle Rose Russell, Sob o Mesmo Céu, 2005), a melhor amiga de Via.

Preciso de um único parágrafo para falar de Auggie. Auggie é um dos meus personagens literários favoritos. Sua personalidade é “o Sol”, nas palavras de Miranda e guia todos os outros personagens ali – desde Isabel até Dayse, a cachorra. Auggie mostra que todas as pessoas, independente da sua aparência física, são iguais. Temos desejos, ideias, podemos errar e acordar num dia ruim. Auggie tenta, de todas as formas, sobreviver num ambiente em que ele é tido como praga e que a cada segundo alguém tenta massacrá-lo ou mandá-lo morrer simplesmente por ter nascido com o rosto extraordinário. Tive medo da escolha de Jacob Tremblay (O quarto de Jack, 2016) como Auggie. Mas, de verdade, foi a melhor escolha possível. A caracterização estava impecável.

Infelizmente, os preceitos do Sr. Browne, que permeiam a história inteira no livro, apareceram apenas duas vezes. Porém os fãs de Star Wars ficarão contentes com as referências, já que Auggie é fã da saga.

O filme ganhou posters inspirados na capa do livro. O de Sônia Braga foi exclusivo para o Brasil.

Falando em referências, as piadas com Star Wars foram explicadas durante o próprio filme – afinal de contas, precisa-se agradar gregos e troianos. A minha sessão foi legendada e os trocadilhos e situações idiomáticas foram adaptados extraordinariamente. Foi uma das melhores legendas que já vi de uma distribuidora oficial – e ainda por cima era amarela!

Se você está procurando algum filme para ver este fim de semana, corra para ver Extraordinário. Tenho certeza de que você vai rir e chorar junto com Auggie.

Extraordinário estreia dia 07 de dezembro de 2017 nos cinemas de todo o Brasil. O livro está disponível na livraria mais próxima de você.

Extraordinário

Título Original: Wonder

Ano de lançamento: 2017

Direção: Stephen Chbosky

Distribuição: Paris Filmes

Post Author: Rodolpho

Gosto de ler, ver séries e assistir filmes às vezes. Não sei jogar nada direito - mas ainda assim sou Nerd. Apareço por aqui de vez em quando.