Corra! | Suspense, terror e crítica social

O humor peculiar de Jordan Peele subverte o que conhecemos por supremacia branca em Hollywood.


Não é de hoje que o cinema utiliza de seu recurso para alfinetar a sociedade, e atualmente isso vem com muito mais força. Como exemplo disso, Corra!, dirigido por Jordan Peele, que vem invertendo os padrões do cinema com uma critica também não-padronizada.

Chris (Daniel Kaluuya) é um rapaz que está prestes a passar um tempo na casa dos pais de sua namorada, Rose (Allison Williams). Uma situação normal, não fosse pela própria desconfiança dele em relação aos seus sogros serem preconceituosos por ele ser negro. Conhecer a família da namorada já não é algo simples, situações desconfortáveis são normais, ainda mais nesse caso, para Chris, não é uma tarefa fácil.


O incômodo é perceptível. Até entendermos o que está realmente acontecendo, passamos por algumas situações que não são nada convencionais. Sabemos que está acontecendo alguma coisa de errado com as poucas pessoas negras do filme, e que isso obviamente em algum momento vai vir a tona, e quando vem, é um soco na cara. Daqueles que te fazem pensar no absurdo que é, mas que infelizmente é real na sociedade.

Por conta do mistério, Jordan Peele cria uma boa atmosfera de terror psicológico, usando dos artifícios do racismo e preconceito contra pessoas negras. É realmente bem construído.


Uma das melhores coisas em Corra! é a presença de um humor alfinetador na maioria das cenas. Como bem sabemos, humor não é algo só para fazer rir, e nesse caso é a ironia engenhosa que acaba nos provocando uma sensação que por mais que desconfortável arranca um riso e um pensamento: “que absurdo.” A única coisa é que esse humor não é explorado a ponto de ser genial – poderia ser -, é contido até demais, e fica uma impressão de receio dos produtores de não terem abusado desse elemento.

Corra! é uma boa crítica a uma sociedade racista e preconceituosa. É uma história construída do começo ao fim com um único propósito e uma única justificativa. E isso descobrimos depois de muito mistério e suspense, algo que Peele fez com muito talento e sofisticação. Apesar disso passa longe do genial, porém as indicações ao Oscar 2018 – Melhor filme, direção, roteiro original e ator – são, sim, merecidas.

Post Author: Rafa Saboia

Criador do Nerd Nas Estrelas, estudante de propaganda, especialista em não dormir cedo, maratonador de podcasts, acumulador de episódios não assistidos e Jedi nas horas vagas.